NOTA DE REPÚDIO

//NOTA DE REPÚDIO

NOTA DE REPÚDIO

ASSOCIAÇÃO DOS ESTUDANTES GUINEENSES NA UNILAB-BRASIL/CEARÁ

A associação acima citada tomou conhecimento através da rede social, nomeadamente (Facebook), do caso do cidadão guineense Jorge Mário de Pina Fernandes, retido por dois dias (de 01 a 02 de outubro de 2019) no aeroporto Internacional Nelson Mandela em Cabo verde. A referida situação comprova inúmeros relatos de desrespeito e negação da humanidade dos cidadãos guineenses por parte dos agentes aeroportuários cabo verdianos.

Em razão do ocorrido, nós, enquanto estudantes imbuídos do nacionalismo e da responsabilidade de erguer a pátria Bissau-guineense, repudiamos este e outros atos desumanos perpetuados contra os cidadãos guineenses em qualquer parte do mundo. Nesse sentido, apresentamos nossa elevada solidariedade ao senhor Jorge, assim como a todos/as que em algum momento foram vítimas do ato que vai contra os princípios da dignidade humana.

De salientar que, no princípio do mês de setembro as autoridades guineenses e cabo-verdianas anunciaram que vão assinar o acordo que facilite a circulação e permanência de cidadãos dos dois países. Nesse sentido, exortamos, as autoridades guineenses, em particular Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e das Comunidades a posicionar, persistentemente, dentro dos parâmetros diplomáticos e legais para resolução desses impasses que se verificam nas fronteiras internacionais e que, sobretudo, violam acordos de livre circulação de pessoas e bens. Por outro lado, que haja a reintrodução de controles necessários e rigorosos nas fronteiras da Guiné-Bissau, sem embaraços e violação dos direitos humanos ou desvalorização da interação/integração internacional por vias legais.

Compatriotas governantes, responsáveis máximos/as do país, como futuros dirigentes do mesmo, através desta, também, chamamos a vossa profunda reflexão e atenção, no sentido de zelarem pelo Desenvolvimento Sustentável da nossa Nação, com intuito de garantir, da melhor maneira possível, a estabilidade e permanência dos/as nativos/as di nô Tchon e, o respeito, a dignidade dos cidadãos guineenses residentes em todos os continentes. Que tenham comprometimento governamental sério e apurado para com o país. Superando os desafios internos e externos. I prisis, prumeru, nô kumpu nô propi kasa.

Portanto, esperamos que a veracidade dos fatos seja apurada e anunciada o mais rápido possível por entidades cabo-verdianas. Na mesma ótica, equitativamente, que o acordo sobre a facilitação da circulação e permanência de cidadãos entre Cabo Verde e Guiné-Bissau seja efetivado por ambos países na íntegra e de modo definitivo. BASTA!!

 

 

Brasil 10 de outubro de 2019

A direção!

By |2019-10-10T16:14:00+00:00Outubro 10th, 2019|Categories: NOTÍCIAS|1 comentário

About the Author:

Um comentário

  1. Ziguer sami Outubro 10, 2019 em 9:59 pm

    É lamentável e grave do jeito que eles tratam os emigrantes ou seja pessoal que estão de trânsito em cabo verde. É urgente tomar uma medida sobre essa situação irmãos. É importante a intervenção do nosso governo e a comunidade internacional sobre a referida.

Fechado para comentários.